Imagem do artigo

Falta de planejamento estratégico impede crescimento da empresa?

Avatar
Escrito por Certificado Digital
Nota dos leitores
para este artigo:
7.8

É comum encontrar micro e pequenas empresas sem metas para o faturamento e o crescimento, além de não ter indicadores que possibilitem acompanhar os resultados. Também existe a falta de conhecimento sobre os processos internos necessários e o acompanhamento dos concorrentes.

Não é à toa que 80% das micro e pequenas empresas fecham as portas nos cincos primeiros anos de acordo com o Sebrae. Saiba o que deve conter no planejamento estratégico e a sua importância para que a empresa cresça de forma estruturada.

O que é planejamento estratégico? –O planejamento estratégico é um processo utilizado por empresas na consolidação e no crescimento de um negócio. Junto com a sua equipe, você precisa definir quais são as metas e ações, os pontos fortes e fracos da sua empresa. Ou seja, o que deseja conquistar em um determinado período de tempo e o que será preciso fazer para atingir esse objetivo, além de aperfeiçoar as fraquezas e potencializar as qualidades do negócio.

Conforme adquirir experiência ao longo do tempo, você criará planos e procedimentos para manter a eficiência e o crescimento da sua empresa. Porém, não se apegue somente à sua intuição, busque ferramentas que ajudem a identificar ameaças e oportunidades externas, bem como fraquezas e forças da sua empresa para tomar decisões.

Como traçar o planejamento estratégico? –Antes de qualquer coisa, analise as condições atuais da empresa, da equipe e do mercado. É necessário avaliar uma série de questões, tais como:

  • Modelo de negócio;
  • Propósitos;
  • Valores;
  • Desafios;
  • Situação financeira;

Existem várias ferramentas que podem ser usadas para avaliar a sua empresa bem como mercado e concorrência, por exemplo:

  • Demonstrativos de resultados (DRE);
  • Fluxos de caixa;
  • Balanços patrimoniais;
  • Objetivos e resultados chave (OKRs);
  • Pesquisas de mercado e da concorrência.

Em relação à análise das empresas concorrentes, vale fazer um acompanhamento bem de perto. Pois isso permite que você verifique qual a vantagem do seu produto ou serviço sobre os delas e vice-versa.

Com todos os resultados, é preciso definir os objetivos desejados para definir estratégias e metas para alcançá-los. O planejamento pode focar no aperfeiçoamento da equipe, melhoria de serviços/produtos, inovações ou adoção de um novo modelo de negócio, por exemplo. Veja alguns objetivos que você pode alcançar para a sua empresa:

  • Vender mais e obter mais lucros;
  • Aumentar a equipe;
  • Ampliar o mercado de atuação com abertura de franquias ou vendas no comércio exterior;
  • Aderir a um novo modelo de negócio;
  • Desenvolver novos produtos e serviços.

Por exemplo, imagine que o objetivo de uma marca de roupas femininas é se tornar ecologicamente correta, para reduzir custos e o impacto ambiental gerado e ainda usar a sustentabilidade como argumento competitivo no mercado. Para isso, é preciso:

  • Avaliar quais práticas já são adotadas na empresa;
  • Identificar as falhas e ações da concorrência;
  • Analisar se os valores e metas da marca estão de acordo com os princípios sustentáveis, que visem ações de curto, médio e longo prazo.

Então, se for necessário, deve-se aderir a novos conceitos, processos produtivos e materiais ecológicos. Bem como contratar funcionários e serviços que destinem corretamente os resíduos gerados.

O que é análise SWOT e qual a importância no planejamento estratégico? – Outra ferramenta que pode ser muito útil para elaborar o planejamento estratégico da sua empresa é a análise SWOT, sigla em inglês que significa:

  • Forças (S);
  • Fraquezas (W);
  • Oportunidades (O);
  • Ameaças (T).

O método propõe identificar as características listadas em quadros separados, em uma folha de papel ou no computador, dando maior visibilidade a cada um dos itens. Com a análise SWOT, devem ser estabelecidas ações realistas e metas objetivas, para o aperfeiçoamento dos pontos fracos e minimização de riscos. Por fim, determine um tempo de execução e um limite para avaliar as ações.

Qual a relação entre saúde financeira no planejamento estratégico? – A gestão financeira está diretamente ligada ao planejamento estratégico. Antes de ter o lucro tão desejado, a empresa passará por algumas etapas e precisa seguir os caminhos certos para atingir seus objetivos. Ou seja, é necessário equilibrar as receitas e despesas, diminuir custos e aumentar o faturamento.

Manter uma boa saúde financeira diminui consideravelmente os riscos e aumenta as chances de cumprir o que foi determinado no planejamento estratégico. Veja o que fazer para isso:

  • Separe uma quantia suficiente para o capital de giro – muita gente erra ao calcular o capital de giro, que é o dinheiro que a sua empresa precisa para continuar funcionando ou seja: financiar vendas à prazo, manter estoques, pagar fornecedores e todos os custos operacionais e impostos. O capital de giro é a diferença entre o dinheiro que existe em caixa e a soma de todas as despesas que devem ser pagas, tanto fixas quanto variáveis;
  • Não misture despesas pessoais com o caixa da empresa – uma coisa não tem nada a ver com outra. Não fazer essa distinção pode ser a derrocada da sua empresa. Portanto, em vez de custear despesas pessoais com a verba da empresa, determine um pró-labore adequado para você;
  • Não comprometa suas finanças pessoais com a empresa – assim como não deve usar o dinheiro da empresa para financiar suas despesas pessoais, não é indicado que você invista tudo do próprio bolso no negócio. O mais recomendado é planejar os investimentos a partir dos resultados da empresa.

Por que fazer monitoramento do planejamento estratégico? Depois de finalizar o planejamento estratégico, é preciso monitorá-lo sistematicamente para que a sua empresa não caia no comodismo nem desenvolva uma rotina caracterizada pela urgência e pela realização de atividades que não dão sentido à sua existência ou que ameacem a sua permanência em um mercado altamente competitivo.

Quais são as vantagens do planejamento estratégico? – Além de todos os benefícios relacionados ao crescimento da empresa, o planejamento estratégico permite o alinhamento de expectativas entre os funcionários e gestores. Quando os objetivos profissionais dos funcionários não estão de acordo com os da empresa, podem surgir vários problemas, por exemplo:

  • Falta de engajamento;
  • Perda produtividade;
  • Baixa retenção de talentos.

O planejamento estratégico ajuda a pensar em investimentos, na criação de sociedades ou até na migração para um novo modelo de negócio, com mais contratações ou a terceirização de atividades, por exemplo.

Conteúdos relacionados no site da Serasa Experian

 

 

 

 

 

Este artigo lhe foi útil?

Dê sua nota e comente abaixo:
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10

Obrigado pelo seu voto!

Ele será muito importante para nossa avaliação
Usamos cookies para personalizar o conteúdo, adaptar e medir anúncios, além de oferecer uma experiência mais segura a você. Ao continuar a navegação em nosso site, você concorda com o uso dessas informações. Leia nossa Política de Cookies e saiba mais.
×
Assine nossa newsletter | Assine a newsletter e receba as últimas novidades no seu email.