Imagem do artigo

Por que criar um site próprio?

Avatar
Escrito por Certificação Digital
Nota dos leitores
para este artigo:
10

Ter um canal online é a presença digital mínima para uma empresa hoje, independentemente de seu tamanho, segmento e onde está localizada. Mas com uma gama variada de canais, como marketplaces e redes sociais, alguns empreendedores ainda resistem a criar um site próprio. Veja porque esse é um passo importante para um negócio, tanto para expandir as vendas quanto criar autoridade e melhorar a experiência do consumidor.

Criar um site próprio: o comércio na era digital
A internet mudou os hábitos de consumo: mesmo em situações em que a compra é fechada pessoalmente, a web exerce influência. Isso porque o consumidor busca informações online sobre a confiabilidade da empresa, seja em um website, comentários em redes sociais ou em canais de avaliação como o Reclame Aqui . Dessa forma, o empreendedor deve oferecer seu produto ou serviço em diversos canais da internet – como ao criar um site próprio, em um blog, nas redes sociais, em marketplaces – a fim de se aproximar do futuro comprador e ganhar sua confiança.

Além da possibilidade de um potencial consumidor buscar o nome da sua empresa para se certificar da segurança da compra, é possível que uma pessoa encontre seu negócio ao procurar por termos relacionados aos seus produtos ou serviços. E, neste quesito, ter um site próprio é muito relevante.

Em tempos de pandemia, criar um site próprio é uma alternativa que veio para ficar
O período de pandemia reforçou o comportamento de consumo online ao impor o distanciamento físico e o isolamento em casa a grande parte da população. E mesmo nos períodos de reabertura das lojas físicas, o hábito de buscar na internet ainda continua.

A Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (Abcomm) previu que as vendas pela internet no Brasil cresceriam 16% até 2021. No entanto, só em 2020 o e-commerce brasileiro registrou aumento de 47%. Os dados são da 42ª edição do Webshoppers, relatório sobre e-commerce elaborado pela Ebit Nielsen, em parceria com a Elo.

Por que criar um site próprio mesmo tendo outros canais?
Um canal não substitui outro. Dessa forma, se você possui perfis em redes sociais, como Facebook, Instagram, Twitter, Tiktok, Youtube e LinkedIn, você já está alguns passos à frente no quesito comunicação. O mesmo vale para divulgação de produtos e serviços em marketplaces, como Amazon, Mercado Livre, Submarino, entre outros.

No entanto, a falta de um site próprio acarreta ao menos dois problemas:

  • Sua empresa pode perder vendas por não possuir uma página oficial que fortaleça a credibilidade do negócio. Afinal, é mais fácil convencer seu cliente em um espaço com conteúdo sobre a qualidade do seu serviço/ produto ou em um canal em que você compete por visibilidade com diversas outras empresas?
  • Sem um domínio próprio, você provavelmente não conseguirá desenvolver campanhas de marketing digital focadas em inbound Quando você constrói sua divulgação em redes sociais, marketplaces e até mesmo em sites gratuitos sem domínio registrado, todo o conteúdo está sob a tutela desta plataforma. De modo que, se algo der errado, ela pode levar todo seu material para fora do ar.

Para aqueles pequenos empreendedores que possuem negócios locais, as orientações são as mesmas: criar um site próprio permite que sua marca seja encontrada em pesquisas de nicho, como “restaurante mexicano em Ribeirão Preto” ou “dentista em São José dos Campos”.

Motivos para criar um site próprio 

  1. Para sua empresa ser encontrada no Google e ganhar autoridade no mercado – A divulgação é parte essencial do trabalho de uma empresa – tão importante quanto a consistência e qualidade do produto ofertado. Afinal, de nada adianta possuir a solução mais genial e não construir caminhos para levá-la a quem precisa. Atualmente, a principal maneira de buscar algo é pela internet, por sites de pesquisa como o Google. E para ser encontrado nesta plataforma, é essencial ter um domínio da sua empresa, ou seja, uma URL que você garante ao criar um site próprio.

Plataformas como marketplaces e redes sociais também podem aparecer como resultado nas buscas, mas são os websites e blogs que ganham maior destaque e relevância, aparecendo nas primeiras posições da página. Para potencializar isso, é importante que o site seja otimizado de acordo com as boas práticas requeridas pelo Google, conhecidas como SEO (Search Engine Optimization).

Além de facilitar que um cliente encontre sua empresa, criar um site próprio também traz credibilidade ao seu negócio. Afinal, o que é mais confiável para um consumidor investir seu dinheiro: um site oficial da organização ou um perfil no Instagram? Um website bem organizado e construído de maneira coerente com o tom de voz da empresa mostra seriedade.

  1. Para poder personalizar sua página – Discurso e identidade visual estão intimamente conectados. E em uma página que é a porta de entrada para diversos clientes, é desejável que o conteúdo visual esteja alinhado com o que a empresa quer transmitir e o nicho ao qual ela faz parte. Isso conecta a empresa aos seus consumidores, o que faz a diferença na tomada de decisão.

Um website é muito mais flexível e personalizável do que um perfil de rede social ou de marketplace. Estes canais oferecem apenas configurações limitadas, em um layout já estabelecido. Ao criar um website próprio, sua empresa pode ter uma página com:

  • Responsividade, ou seja, páginas que se adaptam às diferentes telas (celular, desktop, notebook, tablet);
  • Layout adequado à identidade visual da empresa;
  • Formulário para contato – o que ajuda na captação de dados dos usuários para elaborar estratégias de inbound marketing;
  • Otimização de SEO – para ranquear melhor nos buscadores, como o Google;
  • Certificado Digital SSL – garante que as informações e operações contidas no site sejam criptografas, atestando a segurança digital.
  1. Para adotar estratégias de Inbound Marketing e diminuir gastos com publicidade – O Inbound Marketing usa conteúdos relevantes e une estratégias de marketing digital para que consumidores potenciais encontrem uma empresa, criem relacionamento com ela e, finalmente, se tornem clientes fiéis.

Criar um site próprio faz parte dessa estratégia e, quando comparado a outras ações de divulgação, o investimento em um website é baixo. Como retorno, você poderá ter um alcance geográfico muito maior, exposição constante e um canal de comunicação ilimitado com seus clientes.

  1. Para se comunicar com seu público alvo
  • Criar posts de blog sobre temas relacionados ao seu segmento de mercado e que sejam úteis para seus clientes;
  • Ter um chat para atendimento em tempo real;
  • Criar uma seção FAQ, de perguntas frequentes, esclarecendo possíveis dúvidas do público alvo;
  • Criar formulários de contato para que possam solicitar seu serviço ou pedir informações adicionais.

Assim, é possível manter um relacionamento com seu público em seu site.

  1. Para vender mais –Um website é um suporte no momento das vendas. Para isso, ele deve ter explícito qual o serviço ou produto disponível, quais os diferenciais da sua empresa, qual a garantia de qualidade daquela solução. Em vendas envolvem o contato com algum consultor da empresa, o site é uma das peças que ajudarão no convencimento.

Já em vendas self-service, em que o próprio cliente faz a compra sem interação com vendedores, o site permite que o consumidor feche o negócio quando e onde puder, sem que ele tenha que entrar em contato com alguém pelo WhatsApp ou mensagem direta, como ocorre nas redes sociais.

Certificado Digital SSL e a importância na hora de criar um site próprio –Ao criar um site próprio, é importante garantir que sua página tenha o certificado digital SSL, que funciona como uma camada de segurança em websites. Em inglês, a sigla SSL corresponde a Secure Sockets Layer. Esse certificado digital permite que os dados do visitante sejam criptografados, de modo que se mantenham seguros – sem interceptações, capturas ou visualizações durante a transferência das informações até o servidor que hospeda o site. Por isso, o certificado é essencial para e-commerces, onde o consumidor fornece dados pessoais.

Na URL do site, é possível notar se ele é seguro: basta checar se o link começa apenas com “http://” ou tem a letra S incluída, como em “https://”. A letra S indica a presença do certificado digital SSL.

 

Conteúdos relacionados no site da Serasa Experian

Este artigo lhe foi útil?

Dê sua nota e comente abaixo:
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10

Obrigado pelo seu voto!

Ele será muito importante para nossa avaliação
Usamos cookies para personalizar o conteúdo, adaptar e medir anúncios, além de oferecer uma experiência mais segura a você. Ao continuar a navegação em nosso site, você concorda com o uso dessas informações. Leia nossa Política de Cookies e saiba mais.
×
Assine nossa newsletter | Assine a newsletter e receba as últimas novidades no seu email.