Imagem do artigo

Veja 8 dicas para se proteger na Black Friday

Avatar
Escrito por Certificado Digital
Nota dos leitores
para este artigo:
9.3

Como saber se um site é seguro? 🤔

Incontáveis compras online são feitas o tempo todo por meio de plataformas de e-commerce ou aplicativos. E, com as facilidades dos cartões de crédito, de débito ou boleto bancário, o consumidor está sempre ávido por comprar algo novo. Mas, como saber se um site é seguro, especialmente na época da Black Friday, quando o número de ofertas aumenta e enche os olhos de todo mundo?

Todo cuidado é pouco, e não apenas para o consumidor. Os proprietários de lojas virtuais também devem se precaver, além de assumir toda a responsabilidade pela garantia da segurança de seus visitantes. Contudo, muitos sites infelizmente são vulneráveis ou maliciosos. Para saber como se proteger no vasto território da internet, continue a leitura e confira 8 dicas que preparamos!

1. Tenha um Certificado Digital SSL

Você sabe o que é e como funciona um certificado SSL (Secure Socket Layer)? É um arquivo de dados responsável pelo vínculo entre uma empresa ou usuário a uma chave criptografada. Com isso, é possível proteger as informações compartilhadas entre o visitante e o site.

Portanto, toda vez que se tem um certificado vinculado a um site, você passa a usufruir de uma conexão segura entre o servidor web e o dispositivo de acesso, como um smartphone, tablet, computador etc.

Sempre que um usuário acessa um site, o navegador requisita o envio do certificado digital a fim de verificar sua validade, sua relação com o domínio e se está atualizado. Ao notar que tudo está de acordo, a URL inicia com HTTPS. É fundamental saber que a ausência de um certificado válido fará com que abra apenas como HTTP e receba a marcação de insegura.

Caso a validade do certificado esteja expirada, e conforme a coleta de dados é feita, é possível que o navegador aponte o perigo de acesso e aconselhe a pessoa a evitar essa ação. Por isso, é tão importante que os proprietários de sites em geral mantenham um certificado digital SSL perfeitamente em dia.

2. Pesquise reputação e histórico do site

Vários sites apresentam critérios imprescindíveis para garantir segurança. Mesmo assim, é preciso pesquisar para saber exatamente quem está por trás do negócio e se a empresa é realmente confiável. Para tanto, nada melhor do que recorrer à própria comunidade — serviços como o Reclame Aqui e consumidor.gov.br podem ajudar nessa investigação.

Você pode conferir relatos de experiências de outros consumidores em relação à empresa que escolheu para fazer uma compra, principalmente em datas promocionais como a Black Friday.

3. Consulte a política de privacidade

A política de privacidade dos sites indica que seu proprietário se preocupa com o cumprimento das leis, garantindo a segurança dos dados de seus usuários. Então, nunca deixe de dar uma conferida na política de privacidade das páginas de lojas que você escolhe para fazer compras.

Todos os sites devem comunicar claramente de que forma os dados são coletados, utilizados e protegidos. Lembrando que os processos devem estar em conformidade com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

4. Proteja-se de vírus

Os antivírus são programados com mecanismos de bloqueio anti-phishing, que ajudam a evitar sites maliciosos, contendo uma blacklist atualizada toda vez que uma nova ameaça é identificada. Se você acessa com regularidade suas lojas preferidas, o site do seu banco e redes sociais, aposte no uso de gerenciadores de senhas para se proteger melhor.

Eles são aplicativos que armazenam as senhas de maneira totalmente segura, por meio de uma chave mestra e, ainda, fazem o login somente nas URLs cadastradas. Com isso, você fica a salvo de introduzir suas credenciais em endereços falsos na web.

5. Confirme as informações de contato

É fundamental se certificar sobre a acessibilidade das informações de contato do site visitado. Isso representa mais confiabilidade. Muita gente já está mais cautelosa quanto a isso e simplesmente não continua qualquer tipo de interação com páginas que não fornecem um número de telefone e outras informações de contato.

Um dos indícios de segurança é a exibição clara e objetiva de números de telefone, e-mail, endereço físico (caso a loja não seja apenas online), além de direcionamentos para redes sociais e políticas de devolução, quando aplicável.

Esses dados indicam a presença de alguém em condições de ajudar, caso seja preciso falar com uma pessoa ou solicitar uma assistência técnica. Afinal, mesmo que a tecnologia faça grande parte do trabalho, a interação humana sempre será necessária.

6. Pesquise no WHOIS

O WHOIS é uma expressão derivada do inglês “who is”, que significa “quem é”. Portanto, trata-se de uma ferramenta que registra IPs, domínios e sistemas autônomos na internet e, assim, identifica o proprietário de um site. Ele é alimentado por companhias de hospedagem e agrupa todas as informações pertinentes a uma página.

Então, para saber mais detalhes dos sites que você visita, basta acessar o WHOIS e solicitar as informações. Normalmente, esses serviços incluem mais dados relevantes em seu relatório, além do que o protocolo já oferece. São imagens em miniatura, servidores onde o domínio se localiza, entre outros.

7. Evite links encurtados e atente às promoções por e-mail

Cuidado quando entrar em um site cheio de anúncios, banners ou links curtos oferecendo promoções imperdíveis e produtos com preços inacreditáveis. Esses sites sempre apresentam pop-ups insistentes, alertas piscantes ou redirecionamentos imediatos para outras páginas quando você clica. E isso pode ser uma armadilha!

Outro alerta importante é em relação aos e-mails com promoções. Todo cuidado é pouco, uma vez que você pode acabar sendo vítima de phishing, uma prática em que os cibercriminosos conseguem extrair informações (número de cartões de banco, senhas e dados pessoais dos usuários) por meio de e-mail falso ou induzindo à visita de sites falsos.

Para evitar esse tipo de cilada, ao receber esses e-mails promocionais, confira a autenticidade da propaganda visitando, por fora, a loja virtual oficial. Uma boa saída para se desviar dessas armadilhas é usar o AntiSpam, que barra os e-mails desse gênero — já que os cibercriminosos costumam fazer envios em massa.

8. Mantenha antivírus e navegadores atualizados

Se não quiser cair em golpes, comece mantendo seus aplicativos sempre atualizados. Muitas vezes, os próprios navegadores emitem alertas quanto a eventuais riscos em sites suspeitos. Sobre os antivírus, diversos deles já têm plugins para navegadores que verificam a legitimidade dos sites em tempo real. Assim, evitam surpresas desagradáveis.

A Black Friday é uma data muito esperada e você pode aproveitar ao máximo, sempre. Mas não se esqueça de se proteger com as dicas que deixamos aqui, de como saber se um site é seguro, certo? No mais, vale muito pesquisar e tirar proveito do que a internet tem para oferecer de melhor nessa época do ano.

Então, para fechar seu esquema de proteção no ambiente virtual, conheça o Certificado Digital Serasa Experian. Entre em contato com a nossa equipe e saiba mais sobre suas vantagens!

Este artigo lhe foi útil?

Dê sua nota e comente abaixo:
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10

Obrigado pelo seu voto!

Ele será muito importante para nossa avaliação
Usamos cookies para personalizar o conteúdo, adaptar e medir anúncios, além de oferecer uma experiência mais segura a você. Ao continuar a navegação em nosso site, você concorda com o uso dessas informações. Leia nossa Política de Cookies e saiba mais.
×
Assine nossa newsletter | Assine a newsletter e receba as últimas novidades no seu email.