Imagem do artigo

Telemedicina: saiba mais sobre as receitas digitais

Giovanna Baseotto
Escrito por Giovanna Baseotto
Nota dos leitores
para este artigo:
9.5

Com a Telemedicina a todo vapor, saiba mais sobre como funcionam as receitas digitais na matéria abaixo!

A chamada telemedicina vem ganhando um enorme espaço no mercado de saúde no País. Sobretudo neste período de isolamento social. E inclui uma série de procedimentos médicos que podem ser realizados de maneira remota, com total segurança e garantia por parte dos órgãos representativos dos profissionais do setor.

Nesse sentido, uma das maiores evoluções são as receitas virtuais, que nada mais são que prescrições médicas que podem ser enviadas remotamente às farmácias. Tudo sem a necessidade de o paciente precisar se deslocar, num primeiro momento, ate o médico e, depois, até a farmácia. A consulta é realizada por vídeo e a prescrição, direcionada remotamente do médico à farmácia. Bastando o cliente encomendar o medicamento remotamente para entrega via delivery.

De acordo com a Portaria nº 467 do Ministério da Saúde (de 20 de março) a emissão de receitas e atestados médicos à distância é válida em meio eletrônico, mediante o uso de assinatura eletrônica, por meio de certificados padrão ICP-Brasil.

Para efetuar a verificação da validade das prescrições, solicitações de exames, atestados e relatórios médicos, o Governo criou o site Validador de Documentos Digitais.

A assinatura digital do médico pode ser por meio de Certificado Digital modelos A3, token ou cartão. Esse procedimento é muito importante, como forma de garantir a segurança dos dados inseridos no documento, excluindo, assim, a possibilidade de adulteração por parte de terceiros. Vale lembrar que a assinatura digital exclui a necessidade de o paciente possuir um receituário impresso.

As vantagens da receita médica digital

As vantagens da receita médica digital incluem:

Redução do risco de falsificações: a tecnologia da certificação proporciona maior controle sobre a segurança das receitas médicas.

Facilidade de acesso ao histórico do paciente: o uso dos meios eletrônicos no lugar do papel ajuda a centralizar as informações, tornando mais simples a localização dos dados para acompanhamento nos tratamentos.

Redução de custos com papel e material gráfico e distribuição desse material.

Conforme o regulamento da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), atualmente a lista de medicamentos cuja prescrição pode ser feita por meio eletrônico inclui, por exemplo, antidepressivos, antipsicóticos, anticonvulsivantes, anfetaminas, ansiolíticos e os demais produtos. Outros medicamentos como retinoides e talidomida, só podem ser prescritos em receitas físicas.

Por fim, a Serasa Experian oferece solução em Certificados Digitais para diversas aplicações além da Medicina. Para mais informações, acesse https://serasa.certificadodigital.com.br/.

Este artigo lhe foi útil?

Dê sua nota e comente abaixo:
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10

Obrigado pelo seu voto!

Ele será muito importante para nossa avaliação
Usamos cookies para personalizar o conteúdo, adaptar e medir anúncios, além de oferecer uma experiência mais segura a você. Ao continuar a navegação em nosso site, você concorda com o uso dessas informações. Leia nossa Política de Cookies e saiba mais.
×
Assine nossa newsletter | Assine a newsletter e receba as últimas novidades no seu email.