Compre já seu Certificado
Imagem do artigo

7 dicas práticas sobre como calcular o imposto de renda

Avatar
Escrito por Certificado Digital
Nota dos leitores
para este artigo:
4.5

Você sabe como calcular imposto de renda? Realizar a declaração correta é fundamental para assegurar a regularidade fiscal, evitando problemas com a Receita Federal e o pagamento de multas e juros.

A declaração correta do Imposto de Renda é uma obrigação legal e uma forma de contribuir para a melhoria da gestão fiscal do país. Com isso em mente, confira algumas dicas práticas para fazer os cálculos do Imposto de Renda!

1. Saiba como calcular imposto de renda deduzido na fonte

O imposto de renda é um tributo que incide sobre a renda do contribuinte. No caso daqueles que recebem salário, o imposto é retido na fonte pelo empregador e repassado para a Receita Federal.

Nesse sentido, é importante conhecer algumas dicas práticas para fazer o cálculo do Imposto de Renda deduzido na fonte, a fim de evitar problemas com a declaração.

A primeira dica é conhecer a tabela de alíquotas do imposto de renda, que determina o percentual que deve ser aplicado sobre o salário para o cálculo do imposto.

Atualmente, a tabela tem 5 faixas de renda e as alíquotas variam de 7,5% a 27,5%. Por exemplo, para um salário de R$5.000, a alíquota é de 22,5%, o que significa que o imposto de renda a ser deduzido na fonte será de R$550.

Outra dica importante é ficar atento às deduções permitidas na declaração do imposto de renda. Algumas despesas, como gastos com saúde e educação, podem ser abatidas do valor do imposto a ser pago.

Essas deduções são limitadas a determinados valores estabelecidos pela Receita Federal. Por isso, é fundamental guardar todos os comprovantes dessas despesas para incluí-las corretamente na declaração.

Para ilustrar, suponha que o contribuinte teve um gasto de R$2.500 com planos de saúde no ano anterior e R$5.000 com mensalidades escolares. Nesse caso, é possível abater R$3.600 do valor do imposto de renda devido. Se o imposto a ser pago fosse de R$10.000, por exemplo, ele seria reduzido para R$6.400 após a aplicação dessas deduções.

É importante ressaltar que o cálculo do imposto de renda deduzido na fonte pode ser feito de forma simplificada ou completa. A opção pelo modelo simplificado é mais indicada para aqueles que não têm muitas despesas dedutíveis, pois permite um desconto de 20% sobre o valor dos rendimentos tributáveis.

Já o modelo completo é mais adequado para quem teve muitas despesas dedutíveis, justamente porque permite a inclusão de todas elas na declaração. Além disso, é fundamental manter todos os documentos e comprovantes de despesas para evitar erros e problemas com a Receita Federal.

Deduções permitidas

Como vimos, as deduções são despesas que o contribuinte teve ao longo do ano e que podem ser abatidas do imposto de renda devido. Entre as deduções permitidas estão gastos com saúde, educação, previdência social, pensão alimentícia, doações a entidades beneficentes, entre outras.

Porém, é importante ficar atento às regras e limites estabelecidos pela Receita Federal para cada tipo de dedução. Por exemplo, os gastos com saúde só podem ser deduzidos se forem comprovados e os valores reembolsados pelo plano de saúde não podem ser deduzidos.

Rendimentos tributáveis

Os rendimentos tributáveis são aqueles que o contribuinte recebeu ao longo do ano e que são sujeitos à tributação do imposto de renda. Os principais rendimentos tributáveis são os salários, aluguéis, aposentadorias, pensões, entre outros. O valor dos rendimentos tributáveis deve ser declarado de forma correta e completa, para evitar problemas com a Receita Federal.

Rendimentos isentos

Alguns rendimentos são isentos de imposto de renda, ou seja, não são tributados. Entre os rendimentos isentos estão indenizações trabalhistas, seguro-desemprego, rendimentos de caderneta de poupança, entre outros. Apesar de não serem tributados, esses rendimentos devem ser declarados na declaração de imposto de renda.

Dependentes

Os dependentes são pessoas que o contribuinte sustenta e que podem ser incluídos na declaração do imposto de renda. Cada dependente pode gerar uma dedução de até R$2.275,08 no imposto de renda devido. Para ser considerado dependente é necessário que a pessoa se enquadre em alguns critérios estabelecidos pela Receita Federal, como idade, relação de parentesco, entre outros.

Imposto pago

O imposto de renda já pago durante o ano deve ser informado na declaração de imposto de renda. O contribuinte pode ter pago o imposto devido por meio do imposto de renda retido na fonte, pagamentos mensais, ou ambos. É importante conferir todas as informações e valores para evitar erros na declaração e, consequentemente, evitar problemas com a Receita Federal.

2. Atualize a tabela de alíquotas

Atualizar a tabela de alíquotas é uma dica importante para o cálculo do imposto de renda. As alíquotas são os percentuais utilizados para calcular o valor do Imposto de Renda devido.

A tabela de alíquotas pode mudar de um ano para outro, por isso é importante estar atento às mudanças para não cometer erros no cálculo. Ela é composta por faixas de renda, e cada faixa tem uma alíquota específica.

Quanto maior a renda, maior será a alíquota. Em geral, a tabela de alíquotas é atualizada anualmente, levando em consideração a inflação e outros fatores econômicos.

Ao fazer a sua atualização, o contribuinte pode ter uma ideia mais precisa do valor do imposto de renda devido. Isso é especialmente importante para quem tem renda variável ao longo do ano, como profissionais autônomos ou investidores.

Com a tabela atualizada, é possível ter uma ideia mais precisa de quanto imposto deve ser pago ou de quanto pode ser restituído. Além disso, atualizar a tabela de alíquotas também ajuda a evitar erros na declaração do imposto de renda. Se a tabela estiver desatualizada, pode haver um cálculo incorreto do valor devido, o que pode levar a problemas com a Receita Federal.

3. Fique atento às mudanças na legislação

Ficar atento às mudanças na legislação é outra dica importante para o cálculo do imposto de renda. A legislação tributária é complexa e pode mudar com frequência, por isso é fundamental estar sempre atualizado sobre as mudanças e suas implicações no cálculo do imposto de renda.

As mudanças na legislação podem afetar diversos aspectos do cálculo, como as deduções permitidas, os rendimentos isentos, as alíquotas e as obrigações acessórias.

Por exemplo, em 2021, devido à pandemia de Covid-19, foram criadas regras especiais para a declaração do imposto de renda, como a possibilidade de dedução das despesas com home office e a prorrogação do prazo de entrega.

Assim, você pode evitar erros na declaração do imposto de renda e problemas com a Receita Federal. Além disso, ficar atualizado pode ajudar a identificar oportunidades de economia fiscal, como novas deduções ou investimentos incentivados.

Uma forma de se manter atualizado sobre as mudanças na legislação é acompanhar as publicações da Receita Federal e de outras instituições relacionadas à área tributária. Também é possível buscar informações em sites especializados, como os portais de contabilidade e finanças, ou consultar um contador ou advogado tributarista.

4. Calcule corretamente as despesas dedutíveis

As despesas dedutíveis são aquelas que podem ser abatidas do valor do imposto de renda devido, reduzindo o valor a ser pago ou aumentando o valor a ser restituído. Entre as despesas dedutíveis estão gastos com saúde, educação, previdência privada e pensão alimentícia, por exemplo.

Para calcular corretamente as despesas dedutíveis, é necessário prestar atenção a alguns pontos importantes. Em primeiro lugar, é necessário que as despesas sejam consideradas dedutíveis pela legislação tributária. Além disso, é preciso que elas tenham sido realizadas durante o período a que se refere a declaração do imposto de renda.

Também é importante guardar todos os comprovantes e recibos das despesas para comprovar as informações na declaração, uma vez que eles podem ser exigidos pela Receita Federal em caso de verificação ou fiscalização.

Outro ponto a ser considerado é que há limites para as despesas dedutíveis em algumas categorias. Por exemplo, no caso de gastos com educação, o limite de dedução é de até R$3.606 por pessoa no ano. No caso de despesas com saúde, o limite de dedução é de 20% do valor total gasto, sem limite máximo.

5. Tenha cuidado com as deduções não permitidas

Algumas despesas não são permitidas como dedução no cálculo do imposto de renda, como despesas com multas de trânsito, gastos com estacionamento, entre outras.

É importante não incluir essas despesas na declaração, pois a Receita Federal pode identificá-las e questioná-las durante uma eventual fiscalização. Caso a Receita identifique que foram incluídas despesas não permitidas, o contribuinte pode ser penalizado com multas e outras sanções.

Para evitar esse tipo de problema, é fundamental estar atento à legislação tributária e conhecer quais são as despesas permitidas como dedução no cálculo do imposto de renda. As informações sobre as despesas permitidas podem ser encontradas no próprio programa da Receita Federal utilizado para fazer a declaração.

Além disso, é importante lembrar que nem todas as despesas dedutíveis são iguais. Algumas têm limites de dedução estabelecidos pela legislação, como os gastos com educação, enquanto outras não têm limites de dedução, como as despesas com saúde.

6. Considere fazer a declaração em conjunto

Fazer a declaração em conjunto é uma opção disponível para cônjuges ou companheiros que pode resultar em benefícios fiscais. Essa pode ser uma opção vantajosa quando um dos cônjuges apresenta uma renda mais elevada do que o outro, pois permite a utilização do desconto simplificado, que é uma opção de desconto padronizado previsto na legislação tributária.

Ao optar pela declaração em conjunto, o desconto simplificado é calculado sobre a soma dos rendimentos do casal, o que pode resultar em um valor de imposto devido menor do que o que seria calculado se a declaração fosse feita individualmente.

Além disso, a declaração em conjunto também pode ser vantajosa em relação a outras deduções, como gastos com educação e saúde. Porém, antes de optar por essa modalidade, é importante fazer alguns cálculos para avaliar se essa opção é, de fato, a mais vantajosa para o casal.

Em alguns casos, a declaração individual pode ser melhor, especialmente quando os rendimentos dos cônjuges são muito diferentes ou quando um deles conta com muitas despesas dedutíveis.

É importante lembrar que, ao fazer a declaração em conjunto, ambos os cônjuges serão responsáveis pelas informações prestadas na declaração, o que pode afetar o valor do imposto devido e eventuais restituições ou multas.

Por isso, é fundamental que ambos estejam de acordo com a opção pela declaração em conjunto e que todas as informações prestadas na declaração sejam verdadeiras e coerentes.

Assim, é importante fazer cálculos e avaliar se essa opção é vantajosa para o casal, e estar ciente das responsabilidades e obrigações que vêm junto com essa opção.

7. Conheça as regras de investimentos

Os investimentos podem ter implicações no cálculo do imposto de renda, como a incidência de impostos sobre ganhos de capital, rendimentos e dividendos, além das regras específicas para cada tipo de investimento.

Por exemplo, a tributação sobre os ganhos de capital em investimentos em ações pode variar de acordo com o tempo de permanência dos títulos em carteira.

Além disso, os investimentos em previdência privada e planos de aposentadoria podem ter vantagens fiscais, como a possibilidade de dedução de parte das contribuições no cálculo do imposto de renda devido.

Também é importante manter todos os registros e comprovantes de transações e operações, para facilitar a apuração e declaração dos valores envolvidos. Isso é especialmente importante em caso de venda de ações ou outros títulos, para calcular corretamente os ganhos de capital e a tributação correspondente.

Agora que você já conhece 7 dicas de como calcular imposto de renda, lembre-se que seguir as nossas orientações pode ajudá-lo a evitar erros na declaração do imposto de renda e assegurar a regularidade fiscal, além de permitir economia fiscal legítima. Assim, ao fazer o cálculo do imposto de renda de forma mais precisa, é possível evitar problemas com o Leão.

Quer se manter sempre atualizado sobre o imposto de renda? Inscreva-se agora mesmo na nossa newsletter e receba dicas exclusivas e informações atualizadas sobre o tema diretamente em sua caixa de e-mail. Não perca a chance de assegurar a regularidade fiscal e economizar na hora de declarar!

Este artigo lhe foi útil?

Dê sua nota e comente abaixo:
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10

Obrigado pelo seu voto!

Ele será muito importante para nossa avaliação
Usamos cookies para personalizar o conteúdo, adaptar e medir anúncios, além de oferecer uma experiência mais segura a você. Ao continuar a navegação em nosso site, você concorda com o uso dessas informações. Leia nossa Política de Cookies e saiba mais.
Assine nossa newsletter | Assine a newsletter e receba as últimas novidades no seu email.