Imagem do artigo

O que faz parte da responsabilidade do contador?

Avatar
Escrito por Certificado Digital
Nota dos leitores
para este artigo:
8.9

As responsabilidades do contador dizem respeito às obrigações tributárias e fiscais, além de questões administrativas e de pessoal das empresas. Contar com os serviços do profissional ajuda a evitar erros e descumprimentos de prazos que podem acarretar em sanções, multas e até na perda do CNPJ. Além de o contador também poder assessorar em questões que dizem respeito às finanças pessoais, como a declaração do Imposto de Renda de Pessoa Física, por exemplo.

Com um contador para se ocupar de todas essas questões, o empreendedor tem mais tempo para dedicar a outros aspectos fundamentais para a sobrevivência o desenvolvimento do negócio, tais como:

  • Análise de mercado;
  • Análise da concorrência;
  • Planejamento e desenvolvimento de estratégias de marketing e vendas
  • Aperfeiçoamento de processos;
  • Desenvolvimento e aperfeiçoamento de produtos e serviços
  • Atendimento e fidelização de clientes.

Mas, antes de contratar contador, é importante conhecer melhor o que ele faz e quais benefícios pode proporcionar o negócio. Continue a leitura e saiba são as responsabilidades do contador!

Como funciona a contabilidade de uma empresa?
A contabilidade faz o controle da evolução do patrimônio da empresa por meio do registro de todas as transações comerciais e financeiras. O que permite demonstrar a situação patrimonial, econômica e financeira, bem como acompanhar a execução dos planos econômicos levando em conta as receitas e despesas e possíveis problemas.

Até coisas simples, como a compra, por exemplo, de um móvel ou de um computador para o negócio tem relação com a contabilidade. Isso porque esse bem altera a situação patrimonial da empresa e, portanto, deve ser registrado na contabilidade.

Quase todas as empresas devidamente constituídas têm o dever de efetuar o processo da contabilidade, exceto o microempreendedor individual (MEI) que, embora não precise de contador, também tem obrigações fiscais a cumprir, assim como precisa controlar transações e finanças. Mas, independentemente de ser ou não uma exigência legal, a contabilidade é fundamental para a gestão e o sucesso de qualquer negócio.

Qual é a responsabilidade do contador?
A responsabilidade do contador abrange três esferas: civil, tributária e penal. Entenda o que cada uma compreende:

RESPONSABILIDADE CIVIL: são as ações realizadas pelo contador que compõem a rotina da contabilidade de uma empresa. Por exemplo, emitir o balanço patrimonial corretamente e transmitir as obrigações contábeis dentro do prazo previsto. Se o contador não cumpre com a sua função, ele pode responder pelos erros cometidos diante do cliente e até da Justiça. Algumas responsabilidades do contador que fazem da rotina contábil da empresa são as seguintes:

  • Elaboração de contratos;
  • Registros comerciais;
  • Folha de pagamento;
  • Contas a pagar e receber;
  • Conciliação bancária;
  • Fluxo de caixa;
  • Relatórios financeiros.

RESPONSABILIDADE TRIBUTÁRIA: diz respeito à execução das atividades para a prestação de contas e o recolhimento dos impostos devidos pela empresa para diferentes níveis de governo. Dependendo do regime tributário no qual a empresa se encaixa, que varia de acordo com o faturamento (podendo ser o Simples Nacional, o Lucro Real ou o Lucro Presumido) e do tipo de atividade, os impostos que incidem sobre o negócio podem variar, conheça alguns:

Impostos federais

  • IRPJ – Imposto de Renda Sobre Pessoas Jurídicas;
  • CSLL – Contribuição Social Sobre o Lucro Líquido;
  • PIS – Contribuição para o Programa de Integração Social;
  • COFINS – Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social;
  • IPI – Imposto sobre Produtos Industrializados;
  • IOF – Imposto de importação.

Impostos estaduais

  • ICMS – Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços;
  • ITCMD – Imposto sobre a Mortis e Doação de Bens ou Direitos.

Impostos municipais

  • ISS – Imposto sobre Serviços de qualquer natureza;
  • IPTU – Imposto sobre a Propriedade Territorial Urbana;
  • ITBI – Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis.

Atenção!

  • O não cumprimento das obrigações tributárias pode gerar multas para o negócio e até outras penalidades na esfera criminal.

RESPONSABILIDADE PENAL: o contador pode ser responsabilizado penalmente quando uma infração, seja na esfera civil ou tributária, origina um crime. Ou seja, o profissional responde perante à Justiça no âmbito criminal. Dependendo da gravidade da conduta, pode ser até condenado à prisão. Um exemplo disso é a “prática de caixa 2”, prevista no Código Penal Brasileiro, que pode levar o contador e a empresa aos tribunais, pois se trata de sonegação fiscal por meio de contabilidade paralela que não aparece na oficial e, assim, não sofre a incidência de impostos.

Atenção!

  • Embora exista a responsabilidade do contador em diversos casos, o empresário não fica isento, pois é o dono do negócio. Portanto, o contador não é o principal culpado por eventuais ações indevidas.

Por que contratar contador?
Lidar com as questões financeiras, administrativas e fiscais da empresa pode ser muito demorado, cansativo e confuso para quem não tem todo o conhecimento necessário. Inclusive em relação às obrigações fiscais que precisam ser emitidas e enviadas para os órgãos competentes. Por isso, é sempre aconselhável contratar contador devidamente registrado em seu conselho de classe, o que traz vários benefícios:

  • Perfeita situação cadastral;
  • Consultoria a qualquer momento;
  • Melhor gestão do negócio;
  • Segurança nas relações trabalhistas;
  • Valorização da empresa;
  • Manutenção e segurança dos arquivos eletrônicos;
  • Economia de tempo e dinheiro.

O contador também ajuda a separar despesas pessoais e as da empresa?
Faz parte da responsabilidade do contador orientar sobre as melhores práticas para manter a saúde financeira do negócio. Portanto, ele sempre irá orientar separar as despesas pessoais dos donos e as da empresa para conseguir ter a visão real de receitas, despesas e fluxo de caixa. Mas existem algumas práticas que o empreendedor deve adotar para facilitar a separação das finanças pessoais das finanças da empresa:

  • Ter contas bancárias distintas – uma para a pessoa física e outra para a empresa. Ter contas bancárias separadas torna mais fácil organizar e controlar tanto as finanças pessoais quanto as do negócio;
  • Definir as retiradas – o lucro da empresa não é o lucro do empresário. A quantia destinada a ele, chamada de pró-labore, deve ser adequada à realidade do negócio e ser calculada fazendo uma projeção financeira de resultados;
  • Não levar contas domésticas para a empresa e vice-versa – as despesas da pessoa jurídica são dela, assim como as da pessoa física são pessoais. Pagar uma com o dinheiro da outra cria descontrole e compromete as finanças e as prestações de contas;
  • Estabelecer um fundo de emergência – é importante ter sempre uma reserva financeira para a empresa enfrentar oscilações do mercado e imprevistos. Com isso, o empreendedor evita ter que contratar empréstimos e até precisar recorrer ao dinheiro pessoal dele para o negócio conseguir superar alguma dificuldade.

 

Portanto, é muito importante contratar contador para tratar da contabilidade e das obrigações fiscais da pessoa jurídica e, sendo possível, também das questões financeiras pessoais do empreendedor. O profissional fará a previsibilidade de todos os gastos, os ganhos e as obrigações da empresa com o governo, bem como as do empresário.

 

 

Conteúdos relacionados no site da Serasa Experian

Este artigo lhe foi útil?

Dê sua nota e comente abaixo:
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10

Obrigado pelo seu voto!

Ele será muito importante para nossa avaliação
Usamos cookies para personalizar o conteúdo, adaptar e medir anúncios, além de oferecer uma experiência mais segura a você. Ao continuar a navegação em nosso site, você concorda com o uso dessas informações. Leia nossa Política de Cookies e saiba mais.
×
Assine nossa newsletter | Assine a newsletter e receba as últimas novidades no seu email.